O financiamento de vacinas do VIH desce 10% em 2008

Keith Alcorn
Published: 20 July 2009

De acordo com os dados divulgados hoje, pela HIV Vaccine and Microbicide Resource Tracking Working Group, o financiamento na investigação de vacinas para a SIDA diminuiu 10% em 2008, pela primeira vez na última década.

Ao mesmo tempo, o financiamento dos microbicidas e da profilaxia pré-exposição (PREP) aumentou 8 e 13% respectivamente, em 2008.

"O apoio e interesse na investigação da prevenção do VIH a partir de fundos públicos, privados e filantrópicos na última década tem apoiado pontos-chave na Investigação & Desenvolvimento (I&D) de prioridades, avançando esta área de trabalho e trazendo para mais perto novas opções de prevenção”, afirmou Mitchell Warren, Director Executivo da AIDS Vaccine Advocacy Coalition (AVAC).

O declínio em 2008 na investigação de vacinas não é atribuível ao abrandamento económico global, segundo afirmou o grupo de trabalho. Em vez disso, foi parcialmente atribuído ao término dos ensaios clínicos do Step e Phambili, que testavam o desenvolvimento de uma vacina candidata através da farmacêutica Merck. O ensaio Step demonstrou que o produto não só era ineficaz, como os resultados levaram a uma diminuição na investigação de vacinas, o que redireccionou os esforços da investigação para a investigação básica laboratorial.

No entanto, outros estudos importantes sobre vacinas prosseguem. O South African AIDS Vaccine Initiative anunciou hoje o início de um ensaio para o estudo de uma vacina desenvolvida por cientistas sul-africanos. Os resultados, sendo este o maior ensaio de sempre e que conta com a participação de 16 000 pessoas, são também esperados para o final do ano.

A diminuição do investimento por parte do US National Institute of Health contribuiu para o declínio geral no financiamento da I&D. O investimento público dos E.U.A. caiu 39 milhões de dolares, correspondendo a uma diminuição de 6%. Outros governos diminuíram também o financiamento na área da investigação de uma vacina contra o VIH em 2008: o financiamento do governo europeu desceu 13% e o financiamento total de outros países (inclusive Brasil, Canadá, Índia, África do Sul e Tailândia) diminuiu 16%.

“Enfrentamos enormes desafios - tanto a nível científico como económico - nos próximos anos, mas não devemos perder de vista a dinâmica que adquirimos. Esta área precisa de um apoio sustentado a partir de um leque variado de financiadores. A epidemia não dá sinais de abrandamento, e a necessidade urgente de novas opções na área da prevenção não vai mudar”, afirmou Mitchell Warren.

"A crise económica mundial tem alimentado o debate sobre a melhor forma de investir na saúde global, com algumas pessoas a argumentar que a SIDA tem recursos à custa dos esforços de outras doenças e para melhorar os sistemas de saúde no mundo em desenvolvimento. Mas, visto que a SIDA ocupa o primeiro lugar de mortes na África sub-sahariana e o quarto lugar a nível mundial, é imperativo inverter esta pandemia, que só é possível através dos melhores métodos de prevenção, incluindo a disponibilização de uma vacina. Se conseguirmos vencer a SIDA, seremos capazes de investir recursos em outras prioridades urgentes ", afirmou Seth Berkley, Presidente e CEO da International AIDS Vaccine Initiative.

O relatório, Adapting the reality: Trends in HIV Prevention Research Funding 2000 to 2008, foi lançado na V Conferência Internacional sobre Patogénese do VIH, Tratamento e Prevenção, na Cidade do Cabo, na África do Sul, pelo HIV Vaccine and Microbicide Resource Tracking Working Group.

O relatório identificou investimentos de quase 1,2 mil milhões dólares na área da investigação da prevenção do VIH em 2008, dos quais 868 milhões foram direccionados para a I&D de vacinas e 244 milhões para a I&D de microbicidas, enquanto outras áreas de I&D no campo da prevenção receberam quantias muito inferiores. A investigação de uma vacina desceu pela primeira vez desde 2000, caindo dez por cento a partir dos níveis de 2007. Paralelamente, o financiamento dos microbicidas e da profilaxia pré-exposição (PREP) aumentou 8 e 13%, respectivamente.

O governo norte-americano foi novamente o principal financiador na investigação para a prevenção do VIH, direccionando 71% do apoio à I&D de vacinas contra o VIH, 63% para a I&D de microbicidas e 46% para a investigação da PREP em 2008.

O Grupo de Trabalho inclui a AIDS Vaccine Advocacy Coalition (AVAC), a Alliance for Microbicide Development (ADM), a International AIDS Vaccine Initiative (IAVI) e o Programa Conjunto das Nações Unidas sobre VIH/SIDA (ONUSIDA). Para mais informação on-line, consulte o link www.hivresourcetracking.org