Muitos HSH sul-africanos têm relações sexuais paralelas tanto com homens, como com mulheres

Michael Carter
Published: 19 May 2010

A maioria dos homens que têm sexo com homens (HSH) na África Austral são bissexuais e, uma proporção significativa têm relações sexuais paralelas tanto com homens como com mulheres, segundo declararam investigadores na edição online da Sexually Transmitted Infections.

Os investigadores acreditam que esta evidência deve motivar a reflexão sobre os factores que conduzem a epidemia nesta região. Todavia, sentiram-se encorajados pelo facto dos homens com relações paralelas com homens e mulheres (a que os investigadores apelidaram de relações bissexuais simultâneas) terem relatado níveis altos de uso de preservativo.

As relações bissexuais simultâneas foram identificadas como um importante factor contributivo para os altos níveis de transmissão de VIH no sul de África.

Os homens que têm sexo com homens da região são altamente estigmatizados e frequentemente criminalizados e tem sido feita pouca pesquisa sobre o seu comportamento sexual e necessidades de prevenção.

Porém, a pouca pesquisa que tem sido efectuada demonstrou que muitos homens que têm sexo com homens na África subsaariana, também o têm com mulheres. Tendo isso em conta, uma equipa de investigadores conduziu um estudo transversal, entrevistando 537 homens que têm sexo com homens sobre o género dos seus parceiros, relações e comportamentos de risco

Na totalidade, 17% dos homens eram seropositivos para o VIH. Os factores associados à infecção pelo VIH eram ter idade superior a 25 anos e o uso inconsistente do preservativo durante o sexo.

Cerca de um terço dos homens declarou ser casado ou ter uma parceira do sexo feminino e 4% afirmaram que já tinham tido tanto parceiros sexuais masculinos como femininos, nos seis meses anteriores.

As relações bissexuais simultâneas eram comuns e foram declaradas por 17% dos homens.

Os factores associados com qualquer comportamento bissexual incluíam um baixo nível de educação (OR, 1.6; 95% CI, 1.1 to 2.3), o uso alto do preservativo (OR, 6.6; 95% CI, 3.2 to 13.9) e baixa probabilidade de alguma vez ter sido testado para o VIH (OR, 0.47; 95% CI, 0.32 to 0.67).

A análise demonstrou que tendo relações paralelas tanto com homens como com mulheres estava associado com um nível alto de uso do preservativo (OR, 1.7; 95% CI, 1.0 to 3.1) e uma baixa probabilidade de se assumir perante a família (OR, 0.37; 95% CI, 0.22 to 0.65). As relações bissexuais simultâneas foram também associadas com o pagamento para ter relações sexuais com homens (OR, 2.0; 95% CI, 1.2 to 3.2).

“Esta é a primeira análise, que os autores conheçam, que tentou explorar os padrões e associações das relações bissexuais e das relações paralelas entre homens que têm sexo com homens no Malawi,” escrevem os investigadores.

Continuam: “A maioria dos homens que têm sexo com homens no estudo era sexualmente activo tanto com homens como com mulheres, cerca de um terço... era casado com uma mulher e, cerca de um sexto, tinham uma relação estável com um homem ou uma mulher.”

Os autores ficaram “encorajados” com o facto dos homens em relações paralelas tanto com homens como mulheres terem declarado menos risco sexual e níveis mais altos de uso de preservativo, em comparação com os homens que declaram comportamento exclusivamente homossexual.

”São necessárias investigações no futuro para avaliar até que ponto as relações bissexuais podem ser um dos condutores do VIH nas redes sexuais nesta zona de África,” concluem os investigadores.

Referência

Beyrer C et al. Bisexual concurrency, bisexual partnerships, and HIV among southern African men who have sex with men (MSM). Sex Transm Infect, online edition, 10.1136/sti.2009.040162, 2010.